sexta-feira, 12 de outubro de 2012

A TRAIÇÃO DO FALSO SOCIALISTA FRANÇOIS HOLLANDE


A vitória de François Hollande baseou-se nas mentiras mais grosseiras.
Desiludiu toda a gente que esperava uma política de Esquerda, com a vitória de François Hollande.
O primeiro passo foi manter a política colonial francesa do tempo da Guerra Colonial da Argélia, reiniciada por Sarkozy e o apoio à agenda imperial-colonial dos neoconservadores norte-americanos, iniciada por George W Bush e continuada pela dupla Barack Obama-Hillary Clinton. O campo de Tortura de Guantánamo é a bandeira desta política imperial-colonial e este campo de tortura é apoiado por François Hollande e pelo Comité do Prémio Nobel da Paz.
O traidor François Hollande aprovou o chamado «Tratado Orçamental» redigido pelos loucos neoliberais europeus do círculo de Ângela Merkel, que estabelece leis sobre o défice, tratado que na prática significa a criminalização das políticas de Esquerda.
E os «eurobonds»? Já nem fala nisso.
E o imposto sobre as mais-valias dos capitalistas? Também já não fala nisso.
Um traidor da Esquerda brasileira (um ex-trotsquista) foi para a Venezuela estudar as mentiras necessárias para que as Direitas da América do Sul possam contrariar o voto sociológico que tem levado as Esquerdas a vencer as eleições. O discurso da Direita mudou, mas falhou, mas, o melhor, na perspectiva desse ex-trotsquista, é vir para a Europa aprender com François Hollande.

Sem comentários:

Enviar um comentário