terça-feira, 9 de outubro de 2012

ATÉ O JORNAL QUE «FAZ OPINIÃO» (CONTRA A ESQUERDA) JÁ FAZ PERGUNTAS INCONVENIENTES AO GASPARINHO DAS FINANÇAS



Este texto que Nicolau Santos publicou no Expresso de 5/10/2012 merece ser lido e divulgado.

«Senhor ministro das Finanças, agora que nas suas conferências de imprensa cada vez é mais limitado o número de perguntas que os jornalistas lhe podem colocar, utilizo este espaço para tentar obter algumas respostas.

1) V. Exa. considera que pessoas superiormente inteligentes e bem preparadas tecnicamente como o senhor podem tomar decisões completamente estúpidas e irracionais?

2) Se a resposta for negativa, como será seguramente o caso, V. Exa. considera que é possível corrigir em três anos os desequilíbrios acumulados pela economia portuguesa em década e meia?

3) Se a resposta for negativa, como o bom senso parece indicar, que país e que modelo económico espera V. Exa. deixar no final desta legislatura? Um país destruído na sua coesão social, com uma classe média totalmente depauperada, um desemprego esmagador, jovens sem esperança e velhos sem amparo? E o modelo económico assentará em baixíssimos salários e mão de obra qualificada, que trabalhará para uma côdea de pão (ou seja, para salários de €500)?

4) Considera V. Exa. que o regresso da República Portuguesa aos mercados internacionais deve ser conseguido a qualquer custo e constituir o ómega e o alfa da politica económica, independentemente dos seus custos económicos e sociais?

5) V. Exa. acredita que é possível sustentar o crescimento do país em 18 mil empresas exportadoras? E o que espera que aconteça às outras cerca de 300 mil que existem e trabalham para o mercado interno?

6) V. Exa. anunciou que a economia começaria a recuperar no segundo semestre deste ano e que em 2013 já teríamos um crescimento de 0,3%. Agora diz-nos que a recuperação será no segundo semestre de 2013 e que em 2014 já teremos um crescimento de 1,2%. V. Exa. falhou? E porque é que deveremos acreditar agora nesta sua nova previsão?

7) Quais considera V. Exa. que são os efeitos para a economia de uma quebra acumulada de investimento de 29,6% entre 2011 e 2013?

8) Quais considera V. Exa. que são os efeitos económicos e sociais para uma economia de mais de 1 milhão de desempregados?

9) V. Exa. anunciou um enorme aumento de impostos, com a redução dos escalões de oito para cinco. No ultimo escalão vão estar famílias com rendimentos acima de €80 mil contra os atuais €153.300. V. Exa. considera ricos os que ganham mais de 80 mil euros por ano?

10) Em três anos, V. Exa. vai tirar às famílias portuguesas mais de €1O mil milhões por via fiscal. Teremos de trabalhar entre seis a oito meses por ano para o Estado antes de começarmos a ganhar para nós. V. Exa. sente-se confortável ideologicamente com isto?

11) V. Exa. tem consciência de que ao aplicar uma sobretaxa de 4% sobre os rendimentos de 2013 logo a partir de janeiro (e não apenas no final do ano) causa dificuldades dramáticas a milhares de pessoas? Sabe que a carga fiscal aumenta em mais de 34% para a generalidade dos contribuintes?

12) V. Exa. anuncia cortes substanciais para 2014 nas prestações sociais, educação e segurança. Vai continuar a cortar nas prestações sociais? E na segurança? Não pensa que o banditismo e a violência vão aumentar?

13) V. Exa. já descobriu que a realidade não cabe numa folha de Excel? Muito obrigado pelo seu silêncio.»

Sem comentários:

Enviar um comentário