domingo, 21 de outubro de 2012

PARA LÁ DOS LIMITES


«Israel intercepta navio pró-palestiniano que se dirigia para Gaza»


«A Marinha israelita interceptou neste sábado passado (20/10/2012) um navio finlandês, com militantes pró-palestinianos a bordo, numa nova missão para furar o bloqueio à Faixa de Gaza.

Segundo uma porta-voz militar, o arresto decorreu sem incidentes e ninguém terá ficado ferido. “Os soldados entraram a bordo e assumiram o controlo do Estelle. Os passageiros não ofereceram resistência”, afirmou a fonte militar, citada pela AFP. O navio, com cerca de 30 pessoas a bordo, na sua maioria europeus, foi depois encaminhado para o porto de Ashdod. Nenhum dos ocupantes foi ainda autorizado a falar aos jornalistas.

O Estelle deixou o porto de Nápoles no início deste mês, transportando ajuda para a população daquele território palestiniano, incluindo cimento, medicamentos e livros para crianças, recorda a Reuters.

Esta foi a última de uma série de tentativas de activistas pró-palestinianos para quebrar o bloqueio imposto por Israel a Gaza depois de, em 2007, o Hamas ter assumido o controlo daquela estreita faixa de território junto ao Mediterrâneo, onde vivem 1,6 milhões de pessoas.» (In jornal «Público» online)
Uma verdade muito inconveniente é esta – a União Europeia e os Estados Unidos sustentam o Estado de Israel. A União Europeia compra ao Estado de Israel mercadorias de que não precisa para nada.
Se não fosse a União Europeia Israel sofria um bloqueio desportivo igual ao que sofreu o regime do apartheid da África do Sul. Israel fica na Ásia e os seus clubes jogam na UEFA e a sua selecção de futebol joga num grupo europeu, por pressão da União Europeia.
É um país da União Europeia que está a fazer submarinos para o Estado de Israel lançar bombas atómicas.
Foram o Reino Unido (um país da União Europeia) e os Estados Unidos que forneceram a Israel material para fazer 10 bombas atómicas por ano, já fez mais de duzentas.
O extermínio dos judeus pelos alemães é uma questão do passado, já passou, acabou em 1945. Esse extermínio dos judeus pelos alemães, em fábricas de matar pessoas em Auschwitz foi até 1945, não pode servir de pretexto para que os judeus do Estado de Israel façam todas as selvajarias que lhes apetecem. O Estado de Israel é um Estado Religioso, baseia-se no fanatismo religioso.
Agora os judeus dão-se ao luxo de fazer pirataria contra navios da União Europeia. Estão a ir longe demais.

A União Europeia não ajuda a Grécia, Portugal, a Irlanda, a Espanha e a Itália, mas ajuda o Estado de Israel sem limites.

Sem comentários:

Enviar um comentário