sexta-feira, 12 de outubro de 2012

PORTUGAL E A ESPANHA NA LOUCURA NEOLIBERAL



As receitas neoliberais do FMI, da Comissão Europeia, e do aberrante «BCE» só encaixam na realidade virtual destes loucos e loucas que lá estão a mandar, não encaixam na realidade real.
Assim depois da troika (FMI, Comissão Europeia e falso «BCE») terem assassinado o mercado interno e a economia da Grécia, começam as declarações contraditórias.
O FMI já anda a dizer que aquilo que impôs (e continua a impor) como certo está errado. A Comissão Europeia já anda a dizer que aquilo que impôs (e continua a impor), isto é, a cartilha neoliberal europeia de recessão em cima de recessão, não foi a CE que a impôs, mas foram os governos que as impuseram por sua livre vontade! O barco do neoliberalismo europeu está a meter muita água.
Na Espanha Rajoy não confiscou nenhum subsídio de férias ou de Natal aos reformados, para não quebrar a confiança no Estado depositário dos descontos desses cidadãos. Em Portugal Passos Coelho faz o contrário e penaliza os reformados mais que os outros cidadãos, havendo, em Portugal, uma quebra da confiança por parte do Estado.
João Duque o economista «independente» neoliberal PSD-CDS, que aparece muito na SIC, além de muito burro é louco. É louco porque as suas teorias só encaixam na realidade virtual da sua loucura, são incompatíveis com a realidade real.
Rajoy tem tentado resistir à loucura neoliberal de recessão em cima de recessão, assim como Mário Monti. Passos Coelho tem feito o oposto, disse que ia para além da troika, na loucura neoliberal.
O mafioso italiano Mário Draghi diz que o falso «BCE» só ajuda países que imponham a cartilha neoliberal de recessão em cima de recessão. Caso contrário não ajuda efectivamente.
Em Portugal a loucura de Passos Coelho e a loucura de Vítor Gaspar só encaixam na realidade virtual das suas loucuras, não na realidade real.
Passos Coelho andou a fazer falcatruas, juntamente com Miguel Relvas, na zona centro de Portugal, com uma empresa de que Passos Coelho era administrador. Como em Portugal os políticos «não são corruptos» (porque são vacinados com a vacina da honestidade) Passos Coelho e Relvas não vão para a cadeia.
Os funcionários públicos e os reformados são os mais penalizados com a política sádica de Passos Coelho. Um dos argumentos de Passos Coelho para penalizar mais os funcionários públicos era de que tinham um emprego mais seguro. Só que os funcionários públicos são despedidos aos milhares. É o Estado a entidade empregadora que mais despede.
E Passos Coelho não respeita o Tribunal Constitucional, governa, de facto, em Ditadura.
Passos Coelho é muito burro e é louco, porque as suas teorias só encaixam na realidade virtual da sua loucura e são incompatíveis com a realidade real.
Ao mudar os escalões do IRS, Passos Coelho está a proceder a um brutal aumento de impostos. A diminuição dos escalões do IRS é mais uma artimanha para aumentar os impostos.
Ter casa própria é uma conquista do século XX. Ao aumentar, brutalmente, o IMI Passos Coelho quer levar à falência muitas famílias. Arrendar casa, como norma, é regressar ao século XIX, é um brutal retrocesso civilizacional.

1 comentário: